O fenómeno do Carjacking

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

O fenómeno do Carjacking

Mensagem por Jornal Extra em Qua 2 Abr 2008 - 2:32



O crime de carjacking – roubo de viatura com violência e recurso a arma de fogo – aumentou 13% em relação ao mesmo período do ano passado. Nos primeiros nove meses do ano foram roubadas 343 viaturas. A PSP registou 209 casos contra os 184 do ano passado. Já a GNR contou 134 ocorrências, mais 24 do que em 2006.

O desenvolvimento das novas tecnologias de segurança e anti roubo das viaturas foram apontadas pelas autoridades como as razões para o aumento deste tipo de crime, pois tendo a chave do veículo é mais fácil roubar, uma vez que, os sistemas de segurança são obstáculos difíceis de ultrapassar. A técnica mais utilizada pelos assaltantes é a emboscada e na maioria das ocorrências esperam pelas vítimas nos parques de estacionamento. Grande parte dos carros roubados destina-se à prática de outras actividades ilícitas, como assaltos a lojas ou bancos. Mas, por vezes, os assaltos são acompanhados pelo rapto do proprietário do automóvel para o levantamento de dinheiro em caixas multibanco. 70% das viaturas são recuperadas num espaço de tempo de cinco dias. As vítimas mais comuns são pessoas sozinhas ou casais de namorados, não importa o sexo, visto ser um crime de oportunidade, contudo os homens são os mais roubados.

Os assaltantes são jovens, entre os 21 e os 30 anos, na maior parte das vezes actuam em grupos de dois a quatro indivíduos e, sobretudo, entre as 19 horas e as 5 horas da manhã. Lisboa é, em Portugal, a cidade com mais casos registados. Segundo a Polícia Judiciária, o carjacking começou no país com o objectivo de atender às encomendas de clientes exigentes. Para este efeito, uma minoria das viaturas roubadas são exportadas para o Norte de África e Europa, onde os próprios assaltantes fazem a entrega. As marcas preferidas dos ladrões são de gamas média e alta, como a Mercedes, a BMW, a Audi, a Volkswagen e a Seat.

Se em 2005, o carjacking foi esmagador, em 2006 houve um decréscimo devido à detenção e desmantelamento de vários grupos de assaltantes. Porém, este ano voltou as ocorrências voltaram a aumentar. Até Outubro deste ano, em 73% dos crimes foram usadas armadas de fogo, as mais comuns as caçadeiras e o revólver, enquanto que em 2% a força física foi a arma principal. Soluções não existem, por isso cabe aos condutores adoptarem algumas medidas de auto protecção.


Susana Mendes

Edição n.º 22 (1ª Quinzena de Novembro de 2007) do Jornal Extra

Jornal Extra
Administrador do Fórum

Masculino Número de Mensagens : 91
Data de inscrição : 28/03/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum